UM RATO EM FAMÍLIA (1983/84) - Delírio
8129
portfolio_page-template-default,single,single-portfolio_page,postid-8129,woocommerce-demo-store,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,,qode-theme-ver-3.6,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2,vc_responsive
 

UM RATO EM FAMÍLIA (1983/84)

About This Project

UM DELÍRIO!!!

Silvia Maria Monteiro, Carlos, Edson Bueno, Maria Adélia, João Paulo, Luiz Carlos Pazello e Áldice Lopes, formam o GRUPO DELÍRIO com muito amor (entre nós mesmos) e peia arte teatral. Quando nos unimos nesta primeira tentativa de aprender um pouco mais de teatro, fazendo; não acreditávamos que seria tanto o que aprenderíamos. Tínhamos um objetivo idealista — fazer teatro por ele mesmo, procurar aprimorar a comunicação que possa haver entre o ator e o público. Sabíamos que era preciso ousar, acreditar na força da nossa palavra e principalmente, do “DELÍRIO” de que é capaz o ator, no momento da criação.

 

Criamos um espetáculo, todo concebido por artistas em fase de experimentação. Seja na auto­ria do texto, na direção, na criação dos figurinos, cenários, sonoplastia e principaimente na atuação dos atores.

 

Tivemos ainda a grata satisfação de um verdadeiro estágio com o Ator e professor LUIZ OTÁVIO BURNIER, que vindo de uma experiência de 8 anos nas escolas e palcos franceses, tendo trabalhado com alguns dos mais importantes expoentes teatrais daquele país, trouxe-nos um pouco de todo este conhecimento, o que, por si só, já serviu para abrir um leque enorme e maravilhoso de vôos, nesta nossa arte.

 

UM RATO EM FAMÍLIA é um texto construído para abrigar uma montagem de Teatro Fan- tástico/Absurdo. Como as situações vividas pelas personagens poderiam ser ampliadas ou reduzidas, poderiam ir do exagerado ao realista; optamos pelo caminho que proporcionasse a entrega total das nossas emoções, sem o menor preconceito, apenas deixando fluir livremente, e deixá-la dominar o espetáculo à medida em que os ensaios iam progredindo.

 

UM RATO EM FAMfLIA serve de pretexto para discutir abertamente a nossa realidade so­cial e política e toda a repressão a que todos estamos expostos, além dos mecanismos desenvolvidos por ela mesma e por seus dirigentes para castrar no indivíduo o livre desenvolvimento de sua liber­dade. Essa sim, a liberdade é o personagem principal de UM RATO EM FAMÍLIA. Uma pena que ela tenha que ser tão manipulada para se desenvolver. Ê disso que falamos.

 

Tivemos ainda, que nos defrontar com a realidade brasileira — que acabou confirmando o texto — a da violação pura e simples, a um trabalho concebido com dignidade e integridade. O departamento de Censura Federal, distanciado dos interesses culturais, alheio à liberdade de expressão, impôs 4 cortes à montagem; um deles quase comprometendo o bom entendimento da verdade das personagens e do texto. Esse obstáculo não conseguimos ultrapassar ainda. Apresentamos a peça com os 4 cortes, porém este fato também nos serviu como experiência. Não que daqui pra frente, sigamos o caminho da auto-censura, mas pela consciência de estarmos fazendo um trabalho atual, capaz de provocar reações; primeira prova incontestável de que um RATO EM FAMÍLIA não está sendo inútil.

Texto Direção EDSON BUENO

 

Elenco

ÁLDICE LOPES – (Miquelino)

CARLOS SIMIONI – (Senhor Robespierre)

PAULO MARTINS – (Senhor Robespierre)

SÍLVIA MONTEIRO – (Senhora Adelaide)

ELIANE KARAS – (Lucille)

MARIA ADÉLIA FERREIRA – (Lucille)

LUIS CARLOS PAZELLO – (Carlos)

PAULO SÉRGIO RAMOS – (Carlos)

 

 

Cenografia, Figurinos e Sonoplastia  GRUPO DELÍRIO CIA. DE TEATRO

Iluminação  JOÃO LUIS FIANI

Fotos do programa  CARLOS MARTINS

Fotos de divulgação  CHICO NOGUEIRA

Criação cartaz  SOLDA

Programa  ÁLDICE LOPES

Relações Públicas  BRUNO ASSAMI

Operador de Luz  IVAN FRANÇA

Operador de Som  JOSÉ MAURO SANTOS

Produção  ÁLDICE LOPES/JOÃO LUIZ FIANI

Produção Geral  GRUPO DELÍRIO CIA. DE TEATRO

 

Agradecimentos

Antonio Nascimento, Artelino Macedo, Enéas Lour, Irene Monteiro, Paulo Maia, Maria Tereza Citeli Camilo, Secretaria do Estado da Cultura – PR, Fundação Teatro Guaíra, Gilda Poli, Aline Medeiros D’Oliveira, José Maria Santos, Teré e secretaria do Estado da Comunicação Social – PR.

Troféu Gralha Azul

 

  • Melhor Espetáculo
  • Melhor Autor – Edson Bueno
  • Melhor Ator – Áldice Lopes
  • Melhor Ator Coadjuvante – Paulo Martins
  • Melhor Atriz Coadjuvante – Eliane Karas
  • Ator Revelação – Paulo Sergio Ramos
  • Melhor Cenografia
  • Melhor Sonoplastia

Date

1998

Category

Arte, Era de Bronze

Esta é uma loja de demonstração para fins de teste - As compras realizadas não são válidas. Dispensar